domingo, 18 de dezembro de 2011

Santa Justa 1? - 0 Montinhos dos Pegos

No Sábado passado deslocámo-nos ao melhor relvado natural da freguesia do Couço (é o único) e perdemos por 1-0. A questão aqui é a seguinte, mas é possível perder jogos sem sofrer um golo? Aparentemente sim, e não estou a ser tendencioso ou a puxar a brasa à minha sardinha, como toda a gente sabe, normalmente o pessoal que escreve nos blogs tem a tendência para “ver” apenas para um lado, para o lado da sua equipa, embora haja algumas excepções, blog da Fajarda, blog dos Lagoíços, e poucos mais. Mas já chegaremos ao lance do golo.
Deslocámo-nos ao campo do Santa Justa com o objectivo de conseguirmos pontuar. Parece que a história repete-se (algo que os nossos políticos não têm nunca em consideração e continuam sucessivamente a cometer os mesmos erros do passado), a época passada os resultados entre estas duas equipas foram exactamente os mesmos.
Para defrontarmos a equipa local tivemos de passar uma das pontes mais problemáticas do concelho de Coruche, como todos sabem a ponte de Santa Justa está em risco de ruir. Esta ponte foi construída pela Associação Regantes - tal como tantas outras pelo nosso concelho fora – para os agricultores e veio a servir os interesses da população de Santa Justa. A seguir ao 25 de Abril, a câmara veio armada em galifão e disse que as pontes pertenciam todas à câmara. Agora, a ponte está a ruir e chegaram pedidos à Associação de Regantes para realizar as obras na ponte, claro que a Associação de Regantes disse que nada tinha a ver com o assunto, pois a câmara é que tem a responsabilidade de arranjar as pontes. Agora ficámos neste impasse, a câmara diz que arranja mas a Associação também tem de entrar com algum dinheiro, de modo a ser uma obra conjunta. Vamos lá a ver no que é que vai dar.
Isto é só um pequeno à parte, estou a ver se consigo fazer com que alguns leitores desistam de ler o resto do texto, pois o que aí vem não é nada de animador.
Iniciámos o jogo com a seguinte equipa: Asseiceira, Didi, Cuco, Flávio, André Coelho, Manta, Zé Faísca, Hélder, Frade, Ângelo e Ferreira. No banco de suplentes ficaram os seguintes jogadores: Calcinha, Américo, Rui, Seringa e João Azevedo.
Como seria de esperar a equipa do Santa Justa entrou ao ataque e quis mostrar-nos quem é que estava a jogar em casa. Lá acertamos as marcações e equilibrámos o jogo.
Primeiro caso do jogo, Frade isola-se após excelente passe de Ângelo, o guarda-redes do Santa Justa sai e choca com o Frade, quando todos pensávamos que o árbitro iria marcar penalty e expulsar o guarda-redes, para surpresa de todos os amantes de futebol, o árbitro mostra cartão amarelo ao Frade por supostamente simular uma grande penalidade, com o guarda-redes do Santa Justa a queixar-se da costela, sinal de que tinha havido contacto. O nosso capitão foi falar educadamente com o indivíduo que andava a apitar o jogo e este mostrou ser uma pessoa muito nervosa, sem o mínimo de educação, formação e mais uma série de palavras terminadas em ão, nem deixou o rapaz falar, enxotou-o como se enxota um cão, uma pessoa para ser respeitada tem de saber respeitar os outros, nem todos somos pessoas mal formadas e sem educação.
A equipa reagiu bem e continuámos à procura do golo.
O golo do Santa Justa nasce de um pontapé de canto, um jogador do Santa Justa falha o cabeceamento, o Cuco não vê a bola e esta bate-lhe na cabeça e dirige-se calmamente para a nossa baliza, o André Coelho estava ao primeiro poste e com toda a calma do mundo, ao ver que a bola vai na direcção da baliza afinca uma serrafada na bola e despacha-a para a estalagem do Sorraia. O fiscal de linha armado em Sancho Pança levanta logo a bandeira e dá a indicação ao árbitro de que é golo, para surpresa da equipa local que nem estava a fazer conta de a bola ter entrado na nossa baliza. Eu acompanhei o lance de perto e posso dizer que nem há a dúvida sequer de a bola ter passado um bocado a linha de golo, no máximo, a bola estaria a tocar na linha de golo quando o André despacha-a dali. Até o Stevie Wonder que estava na bancada a ver o jogo, afirmou que não era golo. Como todos sabemos, há maus jogadores e bons jogadores a jogarem no inatel, mas também há péssimos árbitros e bons árbitros. Na realidade, este trio de arbitragem é mau, quem estiver a ler isto não julgue que estou frustrado por causa de termos perdido ou que quero aqui denegrir a imagem dos árbitros, nada disso, esta equipa de arbitragem é fraca, o árbitro é uma pessoa intratável e certamente que fariam um favor ao futebol se deixassem de apitar jogos, mais ninguém se iria lembrar deles. Os árbitros cometeram erros para ambos os lados, também houve faltas claríssimas que fizemos e o árbitro não apitou, mas nos lances chave fomos prejudicados, quando apenas pretendíamos uma arbitragem imparcial.
Fomos para o intervalo a perder por 1-0 quando na realidade não estávamos a perder.
Na 2ª parte entrámos decididos a dar à volta ao jogo, tivemos várias oportunidades para marcar mas não finalizámos da melhor forma ou então o guarda-redes de Santa Justa defendia, verdade seja dita, o rapaz fez uma excelente exibição e é certamente um dos melhores guarda-redes que passaram por Santa Justa na última década.
Ainda houve tempo para o sujeito que estava a apitar o jogo querer ganhar mais protagonismo, num lance disputado a meio-campo, um adepto do Santa Justa chuta uma bola para dentro do campo, ou seja, estão duas bolas em jogo, nisto o Santa Justa parte para o ataque, o Hélder ao ver duas bolas em jogo chuta uma das bolas, o árbitro pára o jogo e mostra amarelo ao Hélder, interrompendo assim o ataque do Santa Justa que poderia ter dado golo. Os meus agradecimentos ao senhor de penteado esquisito à anos 70 que chutou a bola propositadamente para dentro do campo, evitou que a sua equipa marcasse um golo mas fez com que um jogador nosso levasse cartão amarelo.
Até ao final tentámos sempre marcar o golo da “igualdade” mas encontrávamos sempre o guarda-redes da equipa da casa ou os nossos avançados rematavam por cima com a bola a passar várias vezes perto da linha eléctrica que passa por dentro do campo, digno de qualquer projecto de engenharia do 3º mundo.
Foi muito engraçado ver o avançado da equipa de Santa Justa, Alceu, a falar crioulo o jogo todo, o homem protestava com tudo, ora era por causa de não lhe passarem a bola, ora era por perder a bola, por causa do tempo estar a ficar nublado, por causa do árbitro ter bigode, por causa de um jogador nosso ter largado uma bufa bem malcheirosa, resumindo, protestou com tudo sempre em crioulo, talvez se tivesse pensado em jogar futebol as coisas poderiam-lhe ter corrido melhor e à sua equipa. Quando foi substituído, disseram-lhe que a Cesária Évora tinha morrido, o homem ficou inconsolável.
Moral da história, perdemos com um golo que não existiu e não pontuámos na disciplina por causa de dois lances que nunca seriam para mostrar o cartão amarelo. Espero sinceramente não ser mal interpretado, não é por termos perdido que estou aqui com este discurso, não há equipas invencíveis e também temos de saber perder, apenas defendo um jogo de futebol correcto e uma equipa de arbitragem à altura do jogo.
Há certas situações que são de lamentar, no final do jogo ainda houve uma troca de insultos, como é óbvio, os insultos são logo dirigidos às mães, quando estas estão em casa descansadinhas e no quentinho a ver o Natal nos hospitais.
No final do jogo ainda houve uns valentões que queriam brigar, o árbitro assim que lhe cheirou a porrada, “oh ala que se faz tarde”, nunca mais ninguém o viu. À vinda para os Montinhos encontrámo-lo junto aos ciganos da Azervadinha, ainda com o apito nos queixos e pelo caminho foi distribuindo cartões amarelos e vermelhos aos carros que passavam em excesso de velocidade, ainda hoje estou para descobrir como é que o sujeito conseguiu correr tanto em tão pouco tempo e com um apito na boca.
No final tivemos o tão aguardado jantar de Natal, o convívio mais uma vez foi excelente, é óptimo verificar o bom ambiente que existe entre todos os jogadores, direcção, famílias, adeptos e população. O jantar estava divinal e as sobremesas ainda melhores, o filho do Hélder e o filho do Cuco que o digam, cada um despachou três discos de mousse, nessa noite devem ter pintado à pistola a sanita. Quanto aos DJ’s, do pior que já ouvi nos últimos tempos, porra, não ouvi uma música de jeito, aquela música do “Ai se eu txi (com sotaque brasileiro) pego” passou algumas 15 vezes. Houve alguns jogadores que tiveram falta de comparência: Alexandre Martins, Diogo Lucas, Tadinho, Zé Faísca, Abreu, Ricardo Lascas, Nuno Monteiro, André Coelho e Seringa. Por terem faltado a este importante jantar correm todos o risco de serem relegados para a equipa do MontiBike.
O momento alto da noite foi a troca de prendas, com algumas pessoas a receberem presentes bastante originais.
O grande animador do Karaoke foi o Kuka, ele canta de tudo, desde fado até ao Final Countdown dos Europe.
No dia 07 de Janeiro de 2012 defrontamos a equipa da Volta do Vale e é importante termos todos os jogadores recuperados das lesões, estive a falar com um jogador deles que me garantiu que desta vez até os nossos treinadores levam uma entrada a pés juntos, já que foram os únicos lá que não levaram cacetada.
Um abraço a todos, excepto a algumas alimárias que vêm aqui ao blog descarregar as suas frustrações (antes isso do que bater nas mulheres ou namoradas, temos contribuído de algum modo para a diminuição do número de vítimas da APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima).

8 comentários:

Anónimo disse...

É triste ver aquele blog da sta justa a falar mal do pessoal dos montinhos.Mas ja reparei aqueles que falam mal nao sao aqueles que tao dentro do campo pk esses sim fazem o k melhor sabem fazer e jogar a bola.Percam ou ganhem para eles sao sempre superiores

Anónimo disse...

digam lá quem foi o arbitro se não se importarem.

Anónimo disse...

Vítor Custódio.

Anónimo disse...

Gostava aqui de desejar um bom natal e umas boas entradas para o ano 2012,para todo o pessoal dos montinhos e que em 2012 venham todos com muita vontade de ser um grande ano para os montinhos dos pegos.joao G. UMA ABRAÇO

Anónimo disse...

triste é irem po blog insultarem os outros...sam sempre os coitadinhos...

Anónimo disse...

Tenho que dar os parabéns a quem faz comentários aqui no vosso blog, são comentários engraçados, ou poderemos dizer cómicos, sinceramente, este senhor que comentou este jogo está a perder-se como comentador de futebol, na minha opinião daria um belo actor cómico.....

padrinho disse...

Segundo ouvi dizer o trio de arbitragem foi do melhor que lá apareceu. Parece que até as moscas fugiram de tanto medo dos intervenientes... Davam porrada uns nos outros... mãe do céu..

Fernando Morais disse...

Parei de ler na parte em que falam do "golo" do Santa Justa.
Connosco (VVale) aconteceu o mesmo no Couço, com os Foros de Lagoíços, só que era eu que estava no poste e fui eu que dei a tal "sarrafada" na bola.
Nunca a bola esteve dentro da baliza, mas o "golo", contou!
No momento, fui falar com o fiscal de linha que me disse que não tinha sido ele, mas o colega árbitro a assinalar.
No fim do jogo falei com o árbitro que me disse.... claro, não foi ele, foi o fiscal.
Nós somos maus jogadores, senão não estaríamos apenas no Inatel, eles também são maus árbitros, ponto final.
Temos que aceitar ou ir jogar para clubes em campeonatos melhores (quem conseguir)!
Até sábado!